Seguidores

quarta-feira, 29 de julho de 2015

COMENTÁRIO BÍBLICO - DEUTERONOMIO CAPITULO 4,5,6

ELABORADO PELO EVANGELISTA: NATALINO ALVES DOS ANJOS. MEMBRO DA IGREJA ASSEMBLEIA DE DEUS DE GUIRATINGA - MATO GROSSO.  COM PESQUISAS EM COMENTÁRIOS E MANUAIS BÍBLICOS.

DEUTERONOMIO CAPITULOS 4

Dt 4:1 Agora, pois, ó Israel, ouve os estatutos e os juízos que eu vos ensino, para os cumprirdes; para que vivais, e entreis, e possuais a terra que o SENHOR Deus de vossos pais vos dá.
4.1 — O conselho a Israel para ouvir os estatutos do Senhor incluía um encorajamento à obediência (Dt 5.1;6.3,4;9.1;20.3;27.9). A finalidade de o povo ouvir e cumprir os mandamentos divinos, para que vivais, contrasta com o fato de que Moisés morreria, ou seja, não entraria na terra (v. 22). Todavia, os israelitas conseguiram compreender que o presente de Deus, Sua Lei, fora moldado para o bem deles. Obedecendo à Lei, certamente experimentariam uma vida vitoriosa.Para que vivais. A palavra de Deus, é o "pão da vida" e Suas palavras apontam o caminho da vida eterna, cf. 8.3; Mt 19.17; Jo 6.63.
Dt 4:2 Não acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela, para que guardeis os mandamentos do SENHOR vosso Deus, que eu vos mando.
4.2. De acordo com o padrão dos tratados de suserania do Oriente Próximo e dos antigos códigos legais, a aliança não deveria ser alterada de modo algum (Cf. Mt 23:16-26; Mc 7:9-13.). Nada acrescentareis. . . nem diminuireis. As leis de Deus não deviam sofrer emendas ou reduções através de legislação humana (cons. 12: 32; Ap. 22:18 e segs.). Toda a obrigação do homem era obedecer, e os israelitas obedientes receberam a promessa de vida e rica herança.
Dt 4:3 Os vossos olhos têm visto o que o SENHOR fez por causa de Baal-Peor; pois a todo o homem que seguiu a Baal-Peor o SENHOR teu Deus consumiu do meio de ti.
Dt 4:4 Porém vós, que vos achegastes ao SENHOR vosso Deus, hoje todos estais vivos.
4.3,4. Uma ilustração vivida do fato de que a desobediência à lei de Deus traz destruição e morte é agora oferecida. Em Baal-Peor (Bete-Peor, 3: 29) Israel se envolvera com a idolatria do deus Baal de Peor (Nm 25: 1-9). Quando certos homens israelitas se ajuntaram sexualmente a mulheres moabitas, praticaram ritos idólatras e adoraram o deus Baal. O castigo que se seguiu foi entendido como conseqüência de tal culto idólatra. Aqueles que permaneceram fiéis em face da tentação escaparam à praga e estavam vivos ao tempo do discurso de Moisés.
Dt 4:5 Vedes aqui vos tenho ensinado estatutos e juízos, como me mandou o SENHOR meu Deus; para que assim façais no meio da terra a qual ides a herdar.
4.5 No meio da terra. A lei visava primariamente a Israel. Seu cerimonial e regulamentos judiciais eram para ser usados por uma nação na terra, até que fosse feita a revelação posterior, quando Cristo viesse.
Dt 4:6 Guardai-os pois, e cumpri-os, porque isso será a vossa sabedoria e o vosso entendimento perante os olhos dos povos, que ouvirão todos estes estatutos, e dirão: Este grande povo é nação sábia e entendida.
vivos ao tempo do discurso de Moisés.
4.6. A significância deste evento é que por meio dele Israel foi advertido de que o único meio de sobrevivência na nova terra era a absoluta fidelidade à aliança de Javé e obediência aos estatutos e ordenanças de Javé que Moisés lhes dera. Na verdade, a sobrevivência nacional estava em jogo, pois Javé, que trouxera terra em que habitar, poderia destruí- la se ela rejeitasse seu senhorio total.
Dt 4:7 Pois, que nação há tão grande, que tenha deuses tão chegados como o SENHOR nosso Deus, todas as vezes que o invocamos?
Dt 4:8 E que nação há tão grande, que tenha estatutos e juízos tão justos como toda esta lei que hoje ponho perante vós?
4.8 Toda esta lei. A relevância da lei mosaica para o crente pode ser resumida como segue: "Primeiramente", essa lei contém certos elementos transitórios a que não se obrigam os cristãos (4.5n). Em segundo lugar, encerra princípios eternos de santidade, justiça e verdade, incluídos no Decálogo e implícitos em toda a lei, que se impõe a todas as gerações de judeus e cristãos. A estes se refere a frase "está escrito" (Mt 4.10; 5.17; Rm 13.9; 1 Pe 1.16). Em terceiro lugar, como,
parte da Bíblia inspirada, todo o livro foi escrito para nos instruir (Rm 15.4) e é muito "proveitoso" (2 Tm 3.16). Finalmente , é sabido que Moisés escreveu acerca de Cristo (Jo 5.46; Dt 1815). Cristo, portanto, deve ser procurado nessas páginas, já que toda Lei tem o fim de nos conduzir a Ele (Gl 3.24).
Dt 4:9 Tão-somente guarda-te a ti mesmo, e guarda bem a tua alma, que não te esqueças daquelas coisas que os teus olhos têm visto, e não se apartem do teu coração todos os dias da tua vida; e as farás saber a teus filhos, e aos filhos de teus filhos.

terça-feira, 28 de julho de 2015

APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGENCIA NO MINISTÉRIO - LIÇÃO 05 COM SUBSIDIOS


Resultado de imagem para capa lição cpad 2015

SUBSIDIO ELABORADO PELO EVANGELISTA: NATALINO ALVES DOS ANJOS. PROFESSOR NA E.B.D e PESQUISADOR. MEMBRO DA ASSEMBLEIA DE DEUS MISSÃO - CAMPO DE GUIRATINGA - MATO GROSSO




Lições Bíblicas CPAD  -  Adultos
3º Trimestre de 2015

Título: A Igreja e o seu Testemunho — As ordenanças de Cristo nas cartas pastorais
Comentarista: Elinaldo Renovato de Lima


 Lição 5: Apostasia, fidelidade e diligência no Ministério
Data: 2 de Agosto de 2015

TEXTO ÁUREO

“Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios” (1Tm 4.1).

VERDADE PRÁTICA

A apostasia e a infidelidade a Deus são características marcantes dos tempos do fim.

LEITURA DIÁRIA

Segunda — Mt 7.15
O cuidado com os ensinos dos falsos profetas

Terça — Hb 3.12
Que não haja em nós um coração infiel

Quarta — 1Pe 2.2
Desejando o “leite racional, não falsificado”

Quinta — 1Pe 1.15
Santos em toda a nossa maneira de viver

 Sexta — Jr 48.10
A maldição de se fazer a obra do Senhor relaxadamente


 Sábado — Hb 12.14
O cultivo da santificação na nossa vida diária


LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

1 Timóteo 4.1,2,5-8,12,16.

1 — Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios,
2 — pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência,
5 — porque, pela palavra de Deus e pela oração, é santificada.
6 — Propondo estas coisas aos irmãos, serás bom ministro de Jesus Cristo, criado com as palavras da fé e da boa doutrina que tens seguido.
7 — Mas rejeita as fábulas profanas e de velhas e exercita-te a ti mesmo em piedade.
8 — Porque o exercício corporal para pouco aproveita, mas a piedade para tudo é proveitosa, tendo a promessa da vida presente e da que há de vir.
12 — Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza.
16 — Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina; persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem.

HINOS SUGERIDOS

210, 306 e 432 da Harpa Cristã


OBJETIVO GERAL

Mostrar que a apostasia e a infidelidade a Deus são características do tempo do fim.


OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.

I. Tratar a respeito da apostasia dos homens.
II. Compreender que o bom ministro deve ser fiel ao Senhor.
III. Refletir a respeito da diligência no ministério.

sexta-feira, 24 de julho de 2015

ESTUDOS BÍBLICOS

AGUARDANDO A DIVINA PROMESSA
ATOS 1. 1-11

Introdução
Lucas inicia seu segundo volume relatando o que Jesus continuou “a fazer e a ensinar”, depois de sua partida para o céu. Sua obra foi continuada pelo seu Santo Espírito através dos atos dos apóstolos.

Porém, antes de partir, durante os 40 dias em que esteve ressurreto entre os seus discípulos, Jesus lhes ordenou com clareza que, para continuarem sua obra eterna, eles deveriam aguardar a “promessa do Pai”. Por isso podemos dizer que:

Aguardar pacientemente as promessas divinas é o dever de todo cristão.
Neste texto, Lucas nos mostra três atitudes que devemos ter ao aguardarmos as promessas divinas:

I - Confiar na promessa de Jesus Cristo - v. 1 a 5
1. A ascensão de Jesus inicia uma nova era religiosa.
Não cremos num Cristo crucificado e morto, mas em Cristo ressuscitado e exaltado.
Deus vem até nós na pessoa de Jesus Cristo.

2. A promessa do Pai é o batismo (e a plenitude) do Espírito Santo (Mt 3.11).
É Jesus quem batiza no Espírito Santo.
É Jesus quem dá continuamente o Espírito Santo a quem lhe pede - Lc 11.13

3. A igreja que deseja ser missionária deve estar aberta para a ação do Espírito Santo.
O Espírito Santo será uma fonte a jorrar para a vida eterna - Jo 7.37 a 39

II - Compartilhar o evangelho de Jesus Cristo - v. 6 a 8
1. Jesus nos dá o Espírito Santo para termos poder na evangelização do mundo.
Ele condiciona a sua volta à evangelização universal - Mt 24.14
Deus quer que todos cheguem à salvação - 1Tm 2.4 a 5

2. O recebimento do Espírito Santo nos torna testemunhas de Jesus Cristo.
Não recebemos o Espírito Santo para propósitos egoístas.
Ser testemunha é falar e demonstrar o significado da vida, morte e ressurreição de Jesus.
Testemunhar é falar sobre a presença transformadora de Jesus em nossas vidas.

3. Temos que ser testemunhas até os confins da terra - Mt 28.18 a 20
A idéia do v.8 não é de prioridade geográfica, mas teológica. Jerusalém foi o ponto inicial da missão de Jesus e da Igreja. Temos, hoje, a responsabilidade de evangelizar as nações enquanto evangelizamos os bairros.

III - Consolar-nos com o retorno certo de Jesus Cristo - v. 9 a 11
1. A ascensão de Jesus marca o passo final da aprovação do seu trabalho redentor.
A aceitação do seu trabalho pelo Pai é demonstração do trabalho bem sucedido.
A ascensão de Jesus Cristo demonstra sua divindade.

2. Podemos ter certeza de que assim como ele subiu, Ele também voltará.
Subiu em poder e glória - simbolizada pela nuvem - Lc 9.34ss e Ap 11.12
Voltará para ser reconhecido como Rei e Senhor - Fp 2.9 a 11 e Ap19.16

3. Consolar-nos ou encorajar-nos aguardando a volta de Jesus, não é algo passivo.
No aguardo do retorno de Jesus devemos ser ativos.
Ele só voltará depois do evangelho ter sido pregado por todo o mundo - Mc 13.11

Conclusão
Eis a síntese do livro de Atos: Jesus nos dá o seu Espírito.
Pelo Espírito Santo, nos faz pregadores do evangelho a todas as nações.
E, ele voltará após o cumprimento de nossa tarefa!

quinta-feira, 23 de julho de 2015

PASTORES E DIACONOS - LIÇÃO 04 COM SUBSIDIOS


Resultado de imagem para capa lição cpad 2015

Lições Bíblicas CPAD    -   Adultos
 3º Trimestre de 2015

Título: A Igreja e o seu Testemunho — As ordenanças de Cristo nas cartas pastorais
Comentarista: Elinaldo Renovato de Lima

Lição 4: Pastores e Diáconos
Data: 26 de Julho de 2015

TEXTO ÁUREO
 “Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar” (1Tm 3.2).

VERDADE PRÁTICA
 Os pastores e os diáconos são líderes, escolhidos por Deus, através do ministério, para cuidarem do serviço cristão na igreja local.

LEITURA DIÁRIA
Segunda — Fp 1.1
Saudação a todos os servos de Jesus Cristo
Terça — Mt 20.28
Jesus veio não para ser servido, mas para servir
Quarta — Mt 27.55,56
Mulheres que serviam a Jesus com dedicação
Quinta — Jo 12.26
Deus honra a quem serve a Jesus com sinceridade
Sexta — 1Tm 2.10
Mulheres que servem a Deus com boas obras



Sábado — At 20.28
Constituídos para apascentar o rebanho de Deus

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
 1 Timóteo 3.1-4,8-13.

1 — Esta é uma palavra fiel: Se alguém deseja o episcopado, excelente obra deseja.
2 — Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar;
3 — não dado ao vinho, não espancador, não cobiçoso de torpe ganância, mas moderado, não contencioso, não avarento;
4 — que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia.
8 — Da mesma sorte os diáconos sejam honestos, não de língua dobre, não dados a muito vinho, não cobiçosos de torpe ganância,
9 — guardando o mistério da fé em uma pura consciência.
10 — E também estes sejam primeiro provados, depois sirvam, se forem irrepreensíveis.
11 — Da mesma sorte as mulheres sejam honestas, não maldizentes, sóbrias e fiéis em tudo.
12 — Os diáconos sejam maridos de uma mulher e governem bem seus filhos e suas próprias casas.
13 — Porque os que servirem bem como diáconos adquirirão para si uma boa posição e muita confiança na fé que há em Cristo Jesus.

HINOS SUGERIDOS
 337, 363, 600 da Harpa Cristã

OBJETIVO GERAL

Promover a conscientização de que o pastorado e a diaconia são ministérios dados por Deus.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
 Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.

I. Tratar a respeito do episcopado.
II. Apresentar as qualificações e atribuições de um líder.
III. Refletir a respeito do diaconato.
IV. Conscientizar-se de que o serviço é a razão de ser do ministério.

terça-feira, 14 de julho de 2015

ORAÇÃO E RECOMENDAÇÃO ÀS MULHERES CRISTÃS - LIÇÃO 03 COM SUBSIDIOS


Resultado de imagem para capa lição cpad 2015

SUBSIDIO ELABORADO PELO EVANGELISTA: NATALINO ALVES DOS ANJOS. PROFESSOR NA E.B.D e PESQUISADOR. MEMBRO DA ASSEMBLEIA DE DEUS MISSÃO - CAMPO DE GUIRATINGA - MATO GROSSO

Lições Bíblicas CPAD   -   Adultos
3º Trimestre de 2015

Título: A Igreja e o seu Testemunho — As ordenanças de Cristo nas cartas pastorais
Comentarista: Elinaldo Renovato de Lima

Lição 3: Oração e recomendação às mulheres cristãs
Data: 19 de Julho de 2015

TEXTO ÁUREO
 “Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões e ações de graças por todos os homens” (1Tm 2.1).

VERDADE PRÁTICA
 A oração é o meio pelo qual falamos com Deus, intercedemos por nossas necessidades e em favor do próximo.

LEITURA DIÁRIA
Segunda — Tg 5.15
A oração da fé salvará o doente e ele será levantado
Terça — Sl 6.9
Deus aceita as nossas orações e súplicas
Quarta — Pv 15.8
Deus se contenta com a oração dos retos
Quinta — Pv 28.9
A oração dos que se desviam da lei do Senhor é abominável
Sexta — At 3.1
A oração de Pedro e João feita no Templo
Sábado — Tg 5.16
Devemos orar uns pelos outros diariamente

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
 1 Timóteo 2.1-5,9-11.
 1 — Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões e ações de graças por todos os homens,
2 — pelos reis e por todos os que estão em eminência, para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade.
3 — Porque isto é bom e agradável diante de Deus, nosso Salvador,
4 — que quer que todos os homens se salvem e venham ao conhecimento da verdade.
5 — Porque há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem,
9 — Que do mesmo modo as mulheres se ataviem em traje honesto, com pudor e modéstia, não com tranças, ou com ouro, ou pérolas, ou vestidos preciosos,
10 — mas (como convém a mulheres que fazem profissão de servir a Deus) com boas obras.
11 — A mulher aprenda em silêncio, com toda a sujeição.

HINOS SUGERIDOS
 151, 296, 577 da Harpa Cristã

OBJETIVO GERAL
 Apresentar as recomendações paulinas quanto à oração e o comportamento da mulher cristã.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
 Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.

I. Tratar acerca da responsabilidade do crente de orar em favor de todos os homens.
II. Conscientizar-se de que Deus deseja que todos se salvem.
III. Refletir a respeito da maneira como as mulheres cristãs devem se vestir.
IV. Discutir a respeito da conduta das mulheres na igreja.

quarta-feira, 8 de julho de 2015

ESTUDO BIBLICO PARA CULTO DE ENSINO

 UM CRISTÃO COMPROMETIDO
(LUCAS 1.1 a 4 E ATOS  1.1 a  4)

Introdução
Ao iniciarmos o estudo do livro de Atos dos Apóstolos, salta aos nossos olhos a figura ímpar do seu autor. Lucas é um dos personagens singulares do Novo Testamento, destacando-se por sua obra que será preservada até o final dos tempos.

Cristão gentio, conheceu em Cristo o princípio do amor e aplicou-o plenamente em sua vida, comprometendo-se e tornando-se um amigo fiel, um cristão interessado no bem-estar espiritual dos seus irmãos e um hábil historiador, preservando a mais bela história da humanidade em todos os tempos.

Quando associamos os versículos iniciais da sua obra, escrita em dois volumes, percebemos que esta vida exemplar merece nossa reflexão. Por isso podemos dizer:

Somente um cristão comprometido com seus irmãos produzem sua vida singular um trabalho que dura para a eternidade.

Nestes versículos iniciais das obras lucanas encontramos três características do cristão que se compromete com seus irmãos:

I - Esse cristão caracteriza-se por uma vida marcada pelo amor:
1. Visto nas amizades sinceras.
a. Por Teófilo - Lc. 1.3 e At 1.1
b. Por Paulo - Cl 1.14 e 2Tm 4.11
2. Visto na atenção especial pelos novos irmãos:
a. Em relação a Teófilo - Lc 1.4
b. Em relação a Lídia - At 16.15

terça-feira, 7 de julho de 2015

O EVANGELHO DA GRAÇA - LIÇÃO 02 COM SUBSIDIO


Resultado de imagem para capa lição cpad 2015

SUBSIDIO ELABORADO PELO EVANGELISTA: NATALINO ALVES DOS ANJOS. PROFESSOR NA E.B.D e PESQUISADOR. MEMBRO DA ASSEMBLEIA DE DEUS MISSÃO - CAMPO DE GUIRATINGA - MATO GROSSO


Lições Bíblicas CPAD  -  Adultos
3º Trimestre de 2015

Título: A Igreja e o seu Testemunho — As ordenanças de Cristo nas cartas pastorais
Comentarista: Elinaldo Renovato de Lima

Lição 2: O Evangelho da Graça
Data: 12 de Julho de 2015

TEXTO ÁUREO
 “[...] contanto que cumpra com alegria a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus” (At 20.24).

VERDADE PRÁTICA
 O evangelho da graça de Deus é por excelência o evangelho da libertação do homem através do sacrifício salvífico de Jesus Cristo.

LEITURA DIÁRIA
Segunda — 1Tm 1.7
Falsos doutores da lei que não compreendiam o que ensinavam
Terça — 1Tm 1.9,10
A Lei não foi feita para os justos, mas para os injustos
Quarta — 1Tm 1.17
A Deus honra e glória para sempre
Quinta — 1Tm 1.20
Entregues a Satanás para que aprendam a não blasfemar
Sexta — 2Tm 4.7
Combatendo o bom combate da fé cristã
Sábado — Gl 1.15
Paulo foi chamado pela graça de Deus

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
 1 Timóteo 1.3-10.

3 — Como te roguei, quando parti para a Macedônia, que ficasses em Éfeso, para advertires a alguns que não ensinem outra doutrina,
4 — nem se deem a fábulas ou a genealogias intermináveis, que mais produzem questões do que edificação de Deus, que consiste na fé; assim o faço agora.
5 — Ora, o fim do mandamento é o amor de um coração puro, e de uma boa consciência, e de uma fé não fingida.
6 — Do que desviando-se alguns, se entregaram a vãs contendas,
7 — querendo ser doutores da lei e não entendendo nem o que dizem nem o que afirmam.
8 — Sabemos, porém, que a lei é boa, se alguém dela usa legitimamente,
9 — sabendo isto: que a lei não é feita para o justo, mas para os injustos e obstinados, para os ímpios e pecadores, para os profanos e irreligiosos, para os parricidas e matricidas, para os homicidas,
10 — para os fornicadores, para os sodomitas, para os roubadores de homens, para os mentirosos, para os perjuros e para o que for contrário à sã doutrina.

HINOS SUGERIDOS

27, 156, 464 da Harpa Cristã

OBJETIVO GERAL
 Explicar o que é o evangelho da graça de Deus.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.

I. Mostrar porque as falsas doutrinas corrompem o evangelho da graça.
II. Conscientizar-se de que a graça superabundou com a fé e o amor.
III. Compreender o significado do bom combate.

INTERAGINDO COM O PROFESSOR
 Paulo foi escolhido e enviado pelo Senhor para anunciar e ensinar o verdadeiro significado da graça. No Antigo Testamento apenas Israel era o povo eleito de Deus. Porém, como prova do seu amor altruísta, Deus enviou seu filho Jesus Cristo para morrer na cruz por toda a humanidade. Jesus veio trazer salvação a todos. Em Cristo não há judeu, gentio, servo, livre, homem ou mulher (Gl 3.28). O evangelho da graça, diferente do judaísmo, não exclui ninguém. Todos são alvos do favor de Deus. Somos salvos não pelas obras da Lei, nem pelas obras que realizamos, mas recebemos o presente da salvação unicamente pela graça. Que você, juntamente com seus alunos, louvem a Deus por sua infinita e abundante graça.

COMENTÁRIO

INTRODUÇÃO
 Ao se despedir dos anciãos de Éfeso, Paulo expressou seu sentimento de preocupação com o rebanho de Deus, pois tinha receio de que na sua ausência as ovelhas do Senhor fossem atacadas (At 20.29,30). Sem dúvida, foi um sentimento dado pelo Senhor, pois sete anos depois, Paulo estava deixando Timóteo em Éfeso, para combater os “lobos cruéis”, que queriam “devorar” o rebanho sob seus cuidados pastorais. Nos dias de hoje, há igrejas que abrigam falsos obreiros, que pervertem a sã doutrina matando ou dispersando as ovelhas.


PONTO CENTRAL
 Os falsos ensinos corrompem o Evangelho da graça de Deus.

segunda-feira, 6 de julho de 2015

ESTUDO TEXTUAL EM MARCOS - CAPITULOS 1,2,3

Estudo Textual
Marcos  -  1:1-45

João Batista Prepara o Caminho do Senhor (1:1-8)
Assunto do livro: Jesus Cristo, Filho de Deus (1:1)

João Batista (1:2-8)
A ligação com os profetas do Velho Testamento

A aparência dele:
Roupas estranhas
Se alimentava de gafanhotos e mel silvestre

A mensagem dele:
Batismo de arrependimento para remissão de pecados
A vinda daquele que é mais poderoso
• João não seria digno nem de servir como o seu escravo
• O contraste entre os batismos ilustra a diferença na autoridade dos dois.

Perguntas:
Quem é a pessoa mais importante no livro de Marcos?
Por que este livro começa falando de João?
Descreva a mensagem de João Batista.
Considere as roupas e os alimentos deste profeta.
Nosso julgamento de uma mensagem deve ser baseado na aparência do mensageiro?

Aplique sua resposta.
Como João se comparava com Cristo?
Somos dignos de ser escravos de Jesus? Explique sua resposta.

Jesus é Batizado e Tentado (1:9-13)
Jesus saiu da Galiléia e foi ao rio Jordão para ser batizado por João (1:9-11)
O Espírito desceu sobre ele imediatamente depois do batismo
A voz do Pai foi ouvida dos céus
Depois do batismo, Jesus foi ao deserto e superou 40 dias de tentações (1:12-13).

Perguntas:
Leia Marcos 1:5,9; João 1:28; e Mateus 3:1 e olhe num mapa para ver a distância que Jesus andou para ser batizado. Ele considerou o batismo importante? Por quê?
O Pai, o Filho e o Espírito Santo são apenas nomes diferentes da mesma pessoa? Explique sua resposta, citando a história do batismo de Jesus.
O que aconteceu na vida de Cristo imediatamente depois de seu batismo? O que vai
acontecer na vida de um cristão depois de seu batismo?

Jesus Começa Seu Ministério e Chama os Primeiros Discípulos (1:14-20)
Jesus começou a pregar na Galiléia (1:14-15). A mensagem dele foi que:
O reino de Deus estava próximo
A fé e o arrependimento eram necessários

Jesus chamou os primeiros discípulos: Simão, André, Tiago e João (1:16-20)
Ele os chamou para serem pescadores de homens
Eles deixaram as redes e seu pai (no caso dos filhos de Zebedeu) e o seguiram
Imediatamente.

Perguntas:
Quais foram os temas da pregação de Jesus?
Quais são os nomes dos primeiros discípulos que Jesus chamou?
Jesus prometeu que seus discípulos fariam o quê?

Jesus Realiza Vários Milagres na Galiléia (1:21-45)
Neste trecho achamos o porquê Marcos é chamado de um livro de ação. Aqui, Marcos dá alguns exemplos dos milagres de Jesus:

Jesus curou um endemoninhado em Cafarnaum (1:21-28)
O povo ficou impressionado com o ensinamento de Jesus na sinagoga num sábado
Jesus expulsou um demônio e o povo se admirou por causa da autoridade dele de
controlar os demônios
Jesus curou a sogra de Pedro (1:29-31)
Jesus realizou vários outros milagres (1:32-34)
Jesus foi para outros lugares da Galiléia (1:35-39)
Jesus saiu para orar, e os discípulos o procuraram dizendo que a multidão estava
procurando por ele
Jesus não voltou à multidão, mas foi a outros lugares para pregar e expulsar demônios
Jesus curou um leproso (1:40-45)
Nesta cura, Jesus mostrou sua compaixão
Ele mandou que o homem curado não falasse dele, mas o homem não obedeceu
O resultado foi que Jesus não pôde entrar nas cidades por causa do grande número de seguidores.

terça-feira, 30 de junho de 2015

UMA MENSAGEM À IGREJA LOCAL E À LIDERANÇA - LIÇÃO 01 COM SUBSIDIOS


Resultado de imagem para capa lição cpad 2015


SUBSIDIO ELABORADO PELO EVANGELISTA: NATALINO ALVES DOS ANJOS. PROFESSOR NA E.B.D e PESQUISADOR. MEMBRO DA ASSEMBLEIA DE DEUS MISSÃO - CAMPO DE GUIRATINGA - MATO GROSSO

Lições Bíblicas CPAD   -    Adultos
3º Trimestre de 2015

Título: A Igreja e o seu Testemunho — As ordenanças de Cristo nas cartas pastorais
Comentarista: Elinaldo Renovato de Lima

Lição 1: Uma mensagem à Igreja Local e à Liderança
Data: 5 de Julho de 2015

TEXTO ÁUREO
 “Ninguém despreze a tua mocidade; as sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza” (1Tm 4.12).

VERDADE PRÁTICA
 As cartas pastorais reúnem orientações à liderança cristã e aos membros em geral para que vivam conforme a vontade de Deus.

LEITURA DIÁRIA
 Segunda — 1Tm 1.2
O cuidado paternal pelo jovem obreiro
Terça — Ef 6.17
A Palavra de Deus é a “Espada do Espírito”
Quarta — Gl 4.9-11
O pastor deve ter cuidado com o legalismo
Quinta — At 15.19,20
De que os crentes gentios devem se abster
Sexta — 1Co 5.7a
Paulo alerta a respeito do cuidado com o “fermento velho”
Sábado — 2Tm 2.15
Preparado para manejar a Palavra da verdade

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
1 Timóteo 1.1,2; Tito 1.1-4.
1 Timóteo
1 — Paulo, apóstolo de Jesus Cristo, segundo o mandado de Deus, nosso Salvador, e do Senhor Jesus Cristo, esperança nossa,
2 — a Timóteo, meu verdadeiro filho na fé: graça, misericórdia e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e da de Cristo Jesus, nosso Senhor.

Tito 1
1 — Paulo, servo de Deus e apóstolo de Jesus Cristo, segundo a fé dos eleitos de Deus e o conhecimento da verdade, que é segundo a piedade,
2 — em esperança da vida eterna, a qual Deus, que não pode mentir, prometeu antes dos tempos dos séculos,
3 — mas, a seu tempo, manifestou a sua palavra pela pregação que me foi confiada segundo o mandamento de Deus, nosso Salvador,
4 — a Tito, meu verdadeiro filho, segundo a fé comum: graça, misericórdia e paz, da parte de Deus Pai e da do Senhor Jesus Cristo, nosso Salvador.

HINOS SUGERIDOS

210, 225 e 515 da Harpa Cristã
 OBJETIVO GERAL
 Apresentar um panorama geral das epístolas paulinas de Timóteo e Tito.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
 Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.

I. Introduzir as epístolas pastorais de Timóteo e Tito.
II. Conhecer os propósitos das epístolas de Timóteo e Tito.
III. Conscientizar a respeito da atualidade das epístolas pastorais.
IV. Explicar o conteúdo da mensagem de Paulo para a liderança.

quinta-feira, 25 de junho de 2015

COMENTÁRIO BÍBLICO - PROVÉRBIOS CAPITULOS 1,2,3

ELABORADO PELO EVANGELISTA: NATALINO ALVES DOS ANJOS. COM PESQUISAS EM COMENTÁRIOS E MANUAIS BÍBLICOS. MEMBRO DA IGREJA ASSEMBLEIA DE DEUS(MISSÃO), CAMPO DE GUIRATINGA - MATO GROSSO.

PROVERBIOS CAPITULO 1

Pv 1:1 Provérbios de Salomão, filho de Davi, rei de Israel;
Pv 1:2 Para se conhecer a sabedoria e a instrução; para se entenderem, as palavras da prudência.
1.2,3 — Os versículos 2 a 6 explicam o objetivo do livro de Provérbios. Os verbos conhecer, entenderem e receber referem-se às formas de adquirir sabedoria. A palavra sabedoria se refere à capacidade, o que pode ser adquirida em sua vida quando se põe
em prática os ensinamentos dados por Deus. O termo instrução também pode ser traduzido como disciplina [NVI]; refere-se ao processo de  recepção de conhecimento e posterior aplicação à sua vida diária.
Pv 1:3 Para se receber a instrução do entendimento, a justiça, o juízo e a eqüidade;
1.3 — A expressão traduzida como instrução do entendimento, assim como a sabedoria, denota uma habilidade em prática, tal como a de um artesão ou músico. Ou seja, a sabedoria afeta a vida como a habilidade dos artistas afeta a prática de sua arte. As palavras justiça, juízo e equidade dão um contexto moral à sabedoria, instrução e palavras que dão entendimento. A sabedoria bíblica permeia a vida inteira; exige uma mudança de comportamento e comprometimento com a justiça.
Pv 1:4 Para dar aos simples, prudência, e aos moços, conhecimento e bom siso;
1.4 — Os simples ou ingénuos são os jovens inexperientes, com tendência ao erro. Os termos prudência e bom siso incluem os fatos mais duros da vida. O sábio já aprendeu com a experiência a distinguir o que é verdadeiro, louvável e bom do que é falso, vergonhoso e ruim (Rm 12.1,2).
Pv 1:5 O sábio ouvirá e crescerá em conhecimento, e o entendido adquirirá sábios conselhos;
Pv 1:6 Para entender os provérbios e sua interpretação; as palavras dos sábios e as suas proposições.
1.5,6 — A expressão crescer em sabedoria vem destacar que o homem que adquiriu alguma compreensão deve continuar desenvolvendo-se em discernimento; sempre há mais o que aprender. O versículo 6 fala das lições que a pessoa mais madura obtém por meio do estudo de provérbios, interpretação, palavras dos sábios e adivinhações.
Pv 1:7 O temor do SENHOR é o princípio do conhecimento; os loucos desprezam a sabedoria e a instrução.
1.7 — O temor do Senhor é o ingrediente mais básico da sabedoria, uma virtude que só pode ser  alcançada quando se conhece Deus e submete-se à Sua vontade. Ter conhecimento sobre algo e nenhum de Deus aniquila o valor de possuir esse conhecimento. Só os loucos rejeitaram o temor ao Senhor. O verbo desprezar tem uma forte carga negativa e dá mais peso ao fato de que não temer a Deus equivale a rejeitar toda sabedoria (Dn 11.32; Jo 17.3).
Pv 1:8 Filho meu, ouve a instrução de teu pai, e não deixes o ensinamento de tua mãe,
Pv 1:9 Porque serão como diadema gracioso em tua cabeça, e colares ao teu pescoço.
1.8,9 — As palavras de abertura deste trecho bíblico soam como o apelo de um pai ao seu filho, um tema que está presente em todo o resto do livro. O versículo 8 destaca a responsabilidade de instruir tanto do pai como da mãe.
Pv 1:10 Filho meu, se os pecadores procuram te atrair com agrados, não aceites.
Pv 1:11 Se disserem: Vem conosco a tocaias de sangue; embosquemos o inocente sem motivo;
Pv 1:12 Traguemo-los vivos, como a sepultura; e inteiros, como os que descem à cova;
Pv 1:13 Acharemos toda sorte de bens preciosos; encheremos as nossas casas de despojos;
Pv 1:14 Lança a tua sorte conosco; teremos todos uma só bolsa!
1.10-14 — Aqui está a primeira passagem de advertência. Neste trecho bíblico, o autor alerta que não devemos misturar-nos com os criminosos. Isto espelha uma situação desregrada da sociedade atual em que é comum ver jovens fracos se deixarem envolver pela rede de violência.
Pv 1:15 Filho meu, não te ponhas a caminho com eles; desvia o teu pé das suas veredas;
Pv 1:16 Porque os seus pés correm para o mal, e se apressam a derramar sangue.
Pv 1:17 Na verdade é inútil estender-se a rede ante os olhos de qualquer ave.
Pv 1:18 No entanto estes armam ciladas contra o seu próprio sangue; e espreitam suas próprias vidas.
1.15-18 — Nestes versículos, o autor aconselha cautela. Ele destaca que cada passo no caminho perigoso é um passo em direção à destruição ao ilustrar com o ato de estender uma rede para capturar uma ave. Neste caso seria uma tarefa inútil, pois a ave, espiando a armadilha sendo preparada, desvia-se dela. Só que existe o louco, que é mais tolo do que o pássaro; ele vê a armadilha ser montada e ainda assim cai nela.