Seguidores

terça-feira, 25 de novembro de 2014

O PRENUNCIO DO TEMPO DO FIM - LIÇÃO 9 COM SUBSIDIOS


Resultado de imagem para daniel lição 4º trimestre

Lições Bíblicas CPAD   -   Jovens e Adultos
 4º Trimestre de 2014

Título: Integridade Moral e Espiritual — O legado do livro de Daniel para a Igreja de hoje
Comentarista: Elienai Cabral


 Lição 9: O prenúncio do Tempo do Fim
Data: 30 de Novembro de 2014

TEXTO ÁUREO

E disse: Eis que te farei saber o que há de acontecer no último tempo da ira; porque ela se exercerá no determinado tempo do fim” (Dn 8.19).

VERDADE PRÁTICA

O tempo do fim não é o fim do mundo, mas o tempo de tratamento de Deus com o povo de Israel, prenunciando a vinda de Cristo.

HINOS SUGERIDOS

304, 334, 469.

LEITURA DIÁRIA

Segunda - Tt 2.13
O aparecimento do grande Deus
 Terça - Dn 7.13
Cristo vindo em glória nas nuvens
 Quarta - Mc 13.26
Cristo vindo com grande poder
 Quinta - Mt 25.31,32
Jesus vindo em glória para julgar as nações
 Sexta - At 1.10,11
Os anjos afirmam que Jesus voltará
 Sábado - Mt 16.27
Jesus vindo para julgar a cada um

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Daniel 8.1,3-11.

1 - No ano terceiro do reinado do rei Belsazar, apareceu-me uma visão, a mim, Daniel, depois daquela que me apareceu no princípio.
3 - E levantei os meus olhos e vi, e eis que um carneiro estava diante do rio, o qual tinha duas pontas; e as duas pontas eram altas, mas uma era mais alta do que a outra; e a mais alta subiu por último.
4 - Vi que o carneiro dava marradas para o ocidente, e para o norte, e para o meio-dia; e nenhuns animais podiam estar diante dele, nem havia quem pudesse livrar-se da sua mão; e ele fazia conforme a sua vontade e se engrandecia.
5 - E, estando eu considerando, eis que um bode vinha do ocidente sobre toda a terra, mas sem tocar no chão; e aquele bode tinha uma ponta notável entre os olhos;
6 - dirigiu-se ao carneiro que tinha as duas pontas, ao qual eu tinha visto diante do rio; e correu contra ele com todo o ímpeto da sua força.
7 - E o vi chegar perto do carneiro, irritar-se contra ele; e feriu o carneiro e lhe quebrou as duas pontas, pois não havia força no carneiro para parar diante dele; e o lançou por terra e o pisou aos pés; não houve quem pudesse livrar o carneiro da sua mão.
8 - E o bode se engrandeceu em grande maneira; mas, estando na sua maior força, aquela grande ponta foi quebrada; e subiram no seu lugar quatro também notáveis, para os quatro ventos do céu.
9 - E de uma delas saiu uma ponta mui pequena, a qual cresceu muito para o meio-dia, e para o oriente, e para a terra formosa.
10 - E se engrandeceu até ao exército dos céus; e a alguns do exército e das estrelas deitou por terra e os pisou.
11 - E se engrandeceu até ao príncipe do exército; e por ele foi tirado o contínuo sacrifício, e o lugar do seu santuário foi lançado por terra.

INTERAÇÃO

“O tempo do fim”. Há pessoas que têm arrepios quando ouvem tal expressão. Mas esta nada tem com o fim do mundo. Todavia, parece que o tema escatológico do fim do mundo mexe com os sentimentos das pessoas. Não por acaso, a indústria cinematográfica americana tem investido bilhões de dólares acerca destes temários. No meio evangélico não é diferente, pois não poucos autores e cineastas têm assustado pessoas fazendo com que as profecias pareçam um filme de Hollywood. Quando ensinamos o oitavo capítulo do livro de Daniel, a nossa perspectiva de ensino não pode ser a do terror, mas a da esperança. Apresentando aos nossos alunos o triunfo do Reino de Deus mediante o contexto profético apresentado no capítulo em estudo.

OBJETIVOS

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
·   Conhecer os símbolos proféticos do carneiro e do bode.
·   Identificar a visão do chifre pequeno.
·   Compreender o período do tempo do fim.

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

PANORAMA BIBLICO DE MALAQUIAS

                                                    MALAQUIAS
A Última Mensagem do A.T. a uma Nação Desobediente.

A época exata de Malaquias não é conhecida. Geralmente se admite que ele viveu perto de 100 anos depois de Ageu e Zacarias, e que esteve associado a Esdras e Neemias nas reformas que empreenderam. Sua época é fixada aproximadamente em 450-400 a.C.
Um restante voltara do cativeiro, 538 a.C. Sob a direção de Ageu e Zacarias reedificaram o Templo, 520-516 a.C. Sessenta anos depois, 458 a.C. Esdras viera de Babilônia a Jerusalém, para ajudar a reorganizar e a estabelecer a nação. 13 anos mais tarde, em 444 a.C., veio Neemias e reconstruiu os muros.

De sorte que, no tempo de Malaquias, os judeus já tinham voltado de Babilônia fazia uns 100 anos, curados, pelo cativeiro, de sua idolatria, mas inclinados a negligenciar a Casa de Deus. Os sacerdotes tinham-se tornado relaxados e degenerados. Os sacrifícios eram de qualidade inferior. Negligenciavam os dízimos. O povo voltara ao seu velho costume de misturar-se pelo casamento com os vizinhos idólatras, ver sobre Ed 9.

Assim é que os judeus, favorecidos do SENHOR acima de todas as nações, desanimados pela sua fraqueza, apegados aos seus pecados, estavam tranqüilos, num estado de letargia mental, aguardando a vinda do Messias prometido. Malaquias assegurou-lhes que o Messias viria no tempo marcado, mas isto significaria juízo para pessoas da espécie deles.

Capítulo 1. Desdém pelos Sacrifícios no Templo
Os vv. 2-3 citam-se em Rm 9:10-13, em referência à escolha que Deus fez de Jacó ao invés de Esaú, Gn 25:22-34. Malaquias emprega a linguagem com referência às duas nações que sugiram de Jacó e Esaú, os israelitas e os edomitas. Ambas foram destruídas pelos babilônios. Israel fora restaurado, mas Edom era ainda uma desolação. Prova do amor de Deus por Israel.

terça-feira, 18 de novembro de 2014

OS IMPÉRIOS MUNDIAIS E O REINO DO MESSIAS - LIÇÃO 8 COM SUBSIDIOS


Resultado de imagem para daniel lição 4º trimestre

Lições Bíblicas CPAD   -   Jovens e Adultos
 4º Trimestre de 2014

Título: Integridade Moral e Espiritual — O legado do livro de Daniel para a Igreja de hoje
Comentarista: Elienai Cabral

 Lição 8: Os Impérios Mundiais e o Reino do Messias
Data: 23 de Novembro de 2014

TEXTO ÁUREO
 E o reino, e o domínio, e a majestade dos reinos debaixo de todo o céu serão dados ao povo dos santos do Altíssimo; o seu reino será um reino eterno, e todos os domínios o servirão, e lhe obedecerão” (Dn 7.27).

VERDADE PRÁTICA
Enquanto os impérios humanos caem, o Reino de Deus se expande através de Jesus Cristo.

HINOS SUGERIDOS

90, 94, 599.

LEITURA DIÁRIA

Segunda - Hb 1.3  Jesus é rei eternamente
 Terça - Dn 2.44  O reino do Messias será único e eterno
 Quarta - Dn 7.14  O reino do Messias é invencível
 Quinta - Ap 19.15  Jesus, o Rei dos reis
 Sexta - Ap 20.4  O reino milenial de Cristo
 Sábado - Mt 6.33; Mc 4.11; Mt 12.28  A realidade do Reino de Deus

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Daniel 7.3-8,13,14.

3 - E quatro animais grandes, diferentes uns dos outros, subiam do mar.
4 - O primeiro era como leão e tinha asas de águia; eu olhei até que lhe foram arrancadas as asas, e foi levantado da terra e posto em pé como um homem; e foi-lhe dado um coração de homem.
5 - Continuei olhando, e eis aqui o segundo animal, semelhante a um urso, o qual se levantou de um lado, tendo na boca três costelas entre os seus dentes; e foi-lhe dito assim: Levanta-te, devora muita carne.
6 - Depois disto, eu continuei olhando, e eis aqui outro, semelhante a um leopardo, e tinha quatro asas de ave nas suas costas: tinha também este animal quatro cabeças, e foi-lhe dado domínio.
7 - Depois disto, eu continuava olhando nas visões da noite, e eis aqui o quarto animal, terrí­vel e espantoso, e muito forte, o qual tinha dentes grandes de ferro; ele devorava e fazia em pedaços, e pisava aos pés o que sobejava; era diferente de todos os animais que apareceram antes dele, e tinha dez pontas.
8 - Estando eu considerando as pontas, eis que entre elas subiu outra ponta pequena, diante da qual três das pontas primeiras foram arrancadas; e eis que nesta ponta havia olhos, como olhos de homem, e uma boca que falava grandiosamente.
13 - Eu estava olhando nas minhas visões da noite, e eis que vinha nas nuvens do céu um como o filho do homem: e dirigiu-se ao ancião de dias, e o fizeram chegar até ele.
14 - E foi-lhe dado o domínio e a honra, e o reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem: o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino o único que não será destruído.

INTERAÇÃO

O texto bíblico que vamos estudar é o capítulo sete de Daniel. Antes, prezado professor, precisamos considerar algumas informações para obtermos êxito na preparação da aula. O nosso estudo sobre o livro de Daniel trata de um capítulo inteiro, por isso, você deverá fazer ao menos duas leituras ou mais, de preferência, utilizando versões diferentes. Um dicionário bíblico e um bom comentário lhe orientarão nos estudos. Muitas pessoas não compreendem o livro de Daniel por acharem-no difícil. É verdade que a obra do profeta é complexa, mas, igualmente, muito do que se diz ser complicado pode ser resolvido através de uma leitura atenta com o auxílio de uma versão contemporânea. E com a ajuda dos eruditos que, através dos dicionários e dos comentários bíblicos, disponibilizaram uma vida inteira de estudo para nos auxiliar.

OBJETIVOS

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
·   Descrever e explicar a visão dos quatro animais.
·   Identificar o clímax da visão do profeta.
·   Compreender a volta de Jesus à luz do capitulo sete de Daniel.

domingo, 16 de novembro de 2014

DEUS É O NOSSO ESCUDO

DEUS É O NOSSO ESCUDO

Versículo Chave
“A nossa alma espera no SENHOR; ele é o nosso auxílio e o nosso escudo” (Salmos 33.20).

Objetivos da Lição
• Mostrar que o Senhor é o nosso escudo de defesa;
• Destacar no salmo os benefícios proporcionados por Deus como  nosso escudo.

Culto Familiar
Segunda - (Salmos 7.10) - O meu escudo está com Deus
Terça - (Salmos 18.30) - Deus é um escudo para todos os que Nele confiam
Quarta - (Salmos 59.9) - Deus é a minha alta defesa
Quinta - (Salmos 59.16) - Deus é o meu alto refúgio e proteção
Sexta - (Salmos 121.5) - Deus é quem nos guarda
Sábado - (Salmos 3) - Deus é o meu escudo
Salmos 3

1 - SENHOR, como se têm multiplicado os meus adversários! São muitos os que se levantam contra mim.
2 - Muitos dizem da minha alma: Não há salvação para ele em Deus. (Selá)
3 - Mas tu, SENHOR, és um escudo para mim, a minha glória e o que exalta a minha cabeça.
4 - Com a minha voz clamei ao SENHOR; ele ouviu-me desde o seu santo monte. (Selá)
5 - Eu me deitei e dormi; acordei, porque o SENHOR me sustentou.
6 - Não terei medo de dez milhares de pessoas que se puseram contra mim ao meu redor.
7 - Levanta-te, SENHOR; salva-me, Deus meu, pois feriste a todos os meus inimigos nos queixos; quebraste os dentes aos ímpios.
8 - A salvação vem do SENHOR; sobre o teu povo seja a tua bênção. (Selá)

INTRODUÇÃO
Os salmos são cânticos que expressam a grandeza de Deus. Alguns deles narram seus feitos na história de Israel, falam de seus atributos e convidam ao louvor e adoração por aquilo que Ele é. Convidamos a todos os alunos desta revista "Crescimento Bíblico" a uma reflexão nestes doze salmos, selecionados com o intuito de fazer Deus conhecido pelos seus predicados, como veremos nesta primeira lição, onde Ele se revela como nosso Escudo:

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

LIÇÃO 7 COM SUBSIDIOS - INTEGRIDADE EM TEMPOS DE CRISE


Resultado de imagem para daniel lição 4º trimestre

Lições Bíblicas CPAD  Jovens e Adultos

 4º Trimestre de 2014

Título: Integridade Moral e Espiritual — O legado do livro de Daniel para a Igreja de hoje
Comentarista: Elienai Cabral

 Lição 7: Integridade em tempos de crise
Data: 16 de Novembro de 2014

TEXTO ÁUREO

Então, os príncipes e os presidentes procuravam achar ocasião contra Daniel a respeito do reino; mas não podiam achar ocasião ou culpa alguma; porque ele era fiel, e não se achava nele nenhum vício nem culpa” (Dn 6.4).

VERDADE PRÁTICA

A integridade deve ser a nossa marca, compreendendo igualmente coração, mente e vontade.

HINOS SUGERIDOS

175, 310, 394.

LEITURA DIÁRIA

Segunda - Sl 7.8
Deus julga-nos conforme nossa integridade
 Terça - Jó 1.1; 2.3
Jó era homem íntegro
 Quarta - 1Rs 9.4
Integridade é símbolo de inteireza
 Quinta - Mt 6.19-24
Jesus ensinou sobre a integridade
 Sexta - 2Cr 25.2; 1Rs 9.4
Integridade em tudo
 Sábado - 1Jo 2.15-17
Integridade é não dividir o coração

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Daniel 6.3-5,10,11,15,16,20.

3 - Então o mesmo Daniel se distinguiu destes príncipes e presidentes, porque nele havia um espírito excelente; e o rei pensava constituí-lo sobre todo o reino.
4 - Então os príncipes e os presidentes procuraram achar ocasião contra Daniel a respeito do reino; mas não podiam achar ocasião ou culpa alguma; porque ele era fiel, e não se achava nele nenhum vício nem culpa.
5 - Então estes homens disseram: Nunca acharemos ocasião alguma contra este Daniel, se não a procurarmos contra ele na lei do seu Deus.
10 - Daniel, pois, quando soube que a escritura estava assinada, entrou em sua casa (ora havia no seu quarto janelas abertas da banda de Jerusalém), e três vezes no dia se punha de joelhos, e orava, e dava graças, diante do seu Deus, como também antes costumava fazer.
11 - Então aqueles homens foram juntos, e acharam a Daniel orando e suplicando diante do seu Deus.
15 - Então aqueles homens foram juntos ao rei, e disseram ao rei: Sabe, ó rei, que é uma lei dos medos e dos persas que nenhum edito ou ordenança, que o rei determine, se pode mudar.
16 - Então o rei ordenou que trouxessem a Daniel, e o lançaram na cova dos leões. E, falando o rei, disse a Daniel: O teu Deus, a quem tu continuamente serves, ele te livrará.
20 - E, chegando-se à cova, chamou por Daniel com voz triste; e, falando o rei, disse a Daniel: Daniel, servo do Deus vivo! dar-se-ia o caso que o teu Deus, a quem tu continuamente serves, tenha podido livrar-te dos leões?

INTERAÇÃO

Daniel viveu em uma sociedade pagã, porém ele manteve-se fiel e temente ao Senhor. Foi um importante profeta e estadista que fez a diferença diante dos reis a quem serviu. A vida deste servo de Deus não foi nada fácil. Ele experimentou terríveis provas, como a cova com leões famintos, mas em todas elas agiu como um vencedor. Embora exercendo importantes funções no reino, Daniel não descuidava da sua vida de oração e não permitiu que um edito real o tirasse da presença de Deus. Tem você, professor, também uma vida devocional como Daniel? Não permita que dificuldade alguma o impeça de se achegar a presença de Deus em oração. Jamais espere que uma situação difícil chegue para lhe ensinar a respeito da oração.

OBJETIVOS

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
·   Saber que Daniel era um homem íntegro, mesmo vivendo em um meio corrompido.
·   Analisar o caráter íntegro de Daniel.
·   Compreender porque Daniel foi parar na cova dos leões.

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

Professor, reproduza o quadro abaixo de maneira que cada aluno tenha o seu. Utilize-o para introduzir a lição. Mostre todos os reis a quem Daniel serviu e enfatize o caráter íntegro deste servo de Deus, mesmo estando em um meio político corrupto. Explique que a fé de Daniel fez com que ele se mantivesse inabalável. A nossa fé em Deus nos livra das investidas de nossos inimigos e nos leva a ter uma vida íntegra.

terça-feira, 28 de outubro de 2014

DEUS ABOMINA A SOBERBA - LIÇÃO 05 COM SUBSIDIOS

Resultado de imagem para daniel lição 4º trimestre
Lições Bíblicas CPAD   Jovens e Adultos

 4º Trimestre de 2014

Título: Integridade Moral e Espiritual — O legado do livro de Daniel para a Igreja de hoje
Comentarista: Elienai Cabral

 Lição 5: Deus abomina a soberba
Data: 2 de Novembro de 2014

TEXTO ÁUREO

Agora, pois, eu, Nabucodonosor, louvo, e exalço, e glorifico ao Rei dos céus; porque todas as suas obras são verdades; e os seus caminhos, juízo, e pode humilhar aos que andam na soberba” (Dn 4.37).

VERDADE PRÁTICA

A soberba é o pecado que mais afronta a soberania divina.

HINOS SUGERIDOS

46, 244, 306.

LEITURA DIÁRIA

Segunda - Pv 8.13 Deus aborrece a soberba
Terça - Pv 11.2  A soberba é afronta
Quarta - Mc 7.20-22  A soberba é o pecado do coração
Quinta - 1Jo 2.16  A soberba da vida não é de Deus
Sexta - Gn 17.1; Jó 11.7  Nenhuma soberba resiste a Deus
Sábado - 2Cr 26.3-21  O rei Uzias e a soberba

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

Daniel 4.10-18.

10 - Eram assim as visões da minha cabeça, na minha cama: eu estava olhando e vi uma árvore no meio da terra, cuja altura era grande;
11 - crescia essa árvore e se fazia forte, de maneira que a sua altura chegava até ao céu; e foi vista até aos confins da terra.
12 - A sua folhagem era formosa, e o seu fruto, abundante, e havia nela sustento para todos; debaixo dela, os animais do campo achavam sombra, e as aves do céu faziam morada nos seus ramos, e toda carne se mantinha dela.
13 - Estava vendo isso nas visões da minha cabeça, na minha cama; e eis que um vigia, um santo, descia do céu,
14 - clamando fortemente e dizendo assim: Derribai a árvore, e cortai-lhe os ramos, e sacudi as suas folhas, e espalhai o seu fruto; afugentem-se os animais de debaixo dela e as aves dos seus ramos.
15 - Mas o tronco, com as suas raízes, deixai na terra e, com cadeias de ferro e de bronze, na erva do campo; e seja molhado do orvalho do céu, e a sua porção seja com os animais na grama da terra.
16 - Seja mudado o seu coração, para que não seja mais coração de homem, e seja-lhe dado coração de animal; e passem sobre ele sete tempos.
17 - Esta sentença é por decreto dos vigiadores, e esta ordem, por mandado dos santos; a fim de que conheçam os viventes que o Altíssimo tem domínio sobre os reinos dos homens; e os dá a quem quer e até ao mais baixo dos homens constitui sobre eles.
18 - Isso em sonho eu, rei Nabucodonosor, vi; tu, pois, Beltessazar, dize a interpretação; todos os sábios do meu reino não puderam fazer-me saber a interpretação, mas tu podes; pois há em ti o espírito dos deuses santos.

INTERAÇÃO

Deus abomina a soberba. Este sentimento pernicioso é um prenúncio da queda (Pv 16.18). As conquistas de muitos impérios e o enriquecimento contribuíram para que Nabucodonosor se tornasse soberbo e altivo. Então Deus decidiu lhe ensinar uma importante lição, assim como havia ensinado ao seu povo. O rei perdeu sua consciência e ficou durante um período de tempo se comportando como um animal. Depois deste período tão difícil, Nabucodonosor aprendeu que o Altíssimo está acima de todo reino e poder humano. O Senhor é soberano, Ele remove os reis e os estabelece.
Que a soberba não encontre guarida em nossos corações, nos fazendo agir como tolos. Que sejamos humildes, honrando a Deus em toda a nossa maneira de viver.

OBJETIVOS

Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
·   Analisar a soberania divina na vida de Nabucodonosor.
·   Saber que Deus falou com Nabucodonosor por intermédio dos sonhos.
·   Compreender a fidelidade da pregação de Daniel para o rei.

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

Professor, para introduzir a lição reproduza o quadro abaixo para seus alunos. Utilizando o quadro, enfatize os pontos fortes de Nabucodonosor e as suas fraquezas. Explique que este rei foi chamado, segundo o profeta Jeremias, de “servo do Senhor” (Jr 25.9). Deus usou Nabucodonosor para punir seu povo. O Senhor é soberano, Ele exalta e também abate. Porém, o coração do rei se tornou soberbo e ele então experimentou o juízo de Deus. Leia Provérbios 16.18 e conclua enfatizando os perigos da soberba.


COMENTÁRIO

INTRODUÇÃO

Palavra Chave
Soberba: Comportamento excessivamente orgulhoso; arrogância, presunção.

Na aula de hoje estudaremos o capítulo quatro de Daniel, cujo conteúdo consiste de um testemunho pessoal do rei Nabucodonosor. Ele foi submetido a um estado de loucura, resultante de sua soberba, que o levou a viver como um animal do campo por “sete tempos”, até que Deus o tirou daquela condição. Ao final desse período, Nabucodonosor reconheceu a soberania do Deus dos cativos de Judá.
A história revela o que ocorre com os que se exaltam e se tornam soberbos ante a majestade do Todo-Poderoso. A trajetória de Nabucodonosor demonstra a soberania divina sobre toda a criação, pois nenhuma criatura pode usurpar a glória de Deus. O episódio ilustra também que a misericórdia e a justiça divinas são capazes de salvar o homem arrependido.