Seguidores

quarta-feira, 13 de abril de 2016

ESBOÇOS BIBLICOS - ROMANOS

A redenção  
Rm 10.9
 1. Foi planejada antes da fundação do mundo (1Pe 1.19-20).
 2. Foi conquistada na cruz (1Co 6.20; At 20.28).
 3. É recebida através da fé (Rm 10.9; At 16.31).
 4. É manifestada na nossa vida diária (Tt 2.11-14).
 5. É admirada por anjos (1Pe 1.12).
 6. É celebrada no céu (Ap 5.9).


 Quatro perguntas importantes sobre missão  
Rm 10.14-15
 1. Como invocarão aquele em quem não creram?
 a. Precisam conhecer o Pai (Jo 3.16-17).
 b. Necessitam conhecer o Filho unigênito (Jo 1.14).
 c. Devem ser convencidos pelo Espírito Santo (Jo 16.7-13).
 d. Precisam ser atraídos pelo Salvador (Jo 12.32).

 2. Como crerão naquele de quem nada ouviram?
a. Deus mandou -nos anunciar a Cristo (Lc 4.18; 1Jo 1.3).
b. Ele ordenou -nos pregar (Mc 3.14; 2Tm 4.2).
c. É nossa tarefa testemunhar dele (At 1.8).

 3. Como ouvirão se não há quem pregue?
 a. Cada crente é um enviado (Jo 17.18; Is 52.7).
 b. A nós foi confiado o ministério da reconciliação (2Co 5.19-20).
c. Jesus ordenou -nos pregar o Evangelho (Mc 16.15).

 4. Como pregarão se não forem enviados?
 a. Quão formosos são os pés … (v. 15).
 b. Eles são chamados seus mensageiros (At 13.4).
 c. Eles seguem seus passos (Is 61.1; Ef 6.15).

segunda-feira, 11 de abril de 2016

JUSTIFICAÇÃO, SOMENTE PELA FÉ EM JESUS CRISTO - LIÇÃO 03 COM SUBSIDIOS


955002

SUBSIDIO ELABORADO PELO EVANGELISTA: NATALINO ALVES DOS ANJOS. PROFESSOR NA E.B.D e PESQUISADOR. MEMBRO DA IGREJA ASSEMBLEIA DE DEUS MISSÃO - CAMPO DE GUIRATINGA - MATO GROSSO.

Lições Bíblicas CPAD  -  Adultos
 2º Trimestre de 2016

Título: Maravilhosa Graça — O Evangelho de Jesus Cristo revelado na carta aos Romanos
Comentarista: José Gonçalves
 Lição 3: Justificação, somente pela fé em Jesus Cristo
Data: 17 de Abril de 2016

TEXTO ÁUREO
 “E não duvidou da promessa de Deus por incredulidade, mas foi fortificado na fé, dando glória a Deus” (Rm 4.20).

VERDADE PRÁTICA
 A justificação dos pecados diante de Deus ocorre somente pela fé.

LEITURA DIÁRIA
 Segunda — Rm 4.2
Abraão foi justificado pela fé e não pelas obras da carne
 Terça — Rm 4.3
Abraão creu em Deus e por isso Ele o aceitou e justificou
 Quarta — Rm 4.6
Feliz é o homem a quem Deus imputa a sua justiça
 Quinta — Rm 4.7
Felizes são aqueles a quem o Senhor perdoa as iniquidades
 Sexta — Rm 4.9
A Palavra de Deus afirma que a fé foi imputada como justiça a Abraão
 Sábado — Rm 4.16
Salvação somente pela fé, mediante a graça divina

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
 Romanos 4.17-22.
 17 — (como está escrito: Por pai de muitas nações te constituí), perante aquele no qual creu, a saber, Deus, o qual vivifica os mortos e chama as coisas que não são como se já fossem.
18 — O qual, em esperança, creu contra a esperança que seria feito pai de muitas nações, conforme o que lhe fora dito: Assim será a tua descendência.
19 — E não enfraqueceu na fé, nem atentou para o seu próprio corpo já amortecido (pois era já de quase cem anos), nem tampouco para o amortecimento do ventre de Sara.
20 — E não duvidou da promessa de Deus por incredulidade, mas foi fortificado na fé, dando glória a Deus;
21 — e estando certíssimo de que o que ele tinha prometido também era poderoso para o fazer.
22 — Pelo que isso lhe foi também imputado como justiça.

HINOS SUGERIDOS
 27, 156 e 464 da Harpa Cristã.

OBJETIVO GERAL
 Explicar que somos justificados diante de Deus somente pela fé e não pelas obras da carne.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
 Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.

I. Abalizar que a justificação manifestada em Jesus Cristo veio para salvar judeus e gentios;
II. Mostrar que Paulo procurou responder, de forma bíblica, as contestações que seus interlocutores faziam quanto à justificação;
III. Explicar como Paulo utilizou o exemplo de Abraão para tratar a respeito da justificação pela fé.

sexta-feira, 8 de abril de 2016

ESBOÇOS BIBLICOS - MATEUS

A ceifa
M t 13.23
1 .0 tempo da ceifa lembra a fidelidade de Deus (Gn 8.22).
2. Ela testifica a grande bondade de Deus(SI 65.11,13).
3. É um tempo de luta e trabalho sério(Mt 9.37-38).
4. É um tempo de grande alegria (Is 9.3; SI 126.6)
5. É uma pregação séria para os perdidos(Jr 8.20).

Um bom trabalhador de Cristo se parece com:
M t 13.24
1. Um aprendiz (Lc 10.39; Dt 33.3).
2. Um bem armado guerreiro (Ef 6.10-18).
3. Um corredor, que se livra do seu peso(Hb 12.1).
4. Um semeador, que semeia boa semente(Mt 13.24).
5. Um embaixador, que prega a reconciliação(2Co 5.20).
6. Um pescador, que lança sua rede (Jo 21.6 .
7. Um servo dedicado ao seu trabalho(Rm 15.16).

quinta-feira, 7 de abril de 2016

A NECESSIDADE UNIVERSAL DA SALVAÇÃO EM CRISTO - LIÇAO 02 COM SUBSIDIOS


955002

SUBSIDIO ELABORADO PELO EVANGELISTA: NATALINO ALVES DOS ANJOS. PROFESSOR NA E.B.D e PESQUISADOR. MEMBRO DA IGREJA ASSEMBLEIA DE DEUS MISSÃO - CAMPO DE GUIRATINGA - MATO GROSSO.


Lições Bíblicas CPAD  -  Adultos
 2º Trimestre de 2016
 Título: Maravilhosa Graça — O Evangelho de Jesus Cristo revelado na carta aos Romanos
Comentarista: José Gonçalves

Lição 2: A necessidade universal da Salvação em Cristo
Data: 10 de Abril de 2016

TEXTO ÁUREO
 “Como está escrito: Não há um justo, nem um sequer” (Rm 3.10).

VERDADE PRÁTICA
 O pecado manchou toda a raça humana e somente o sangue de Cristo é suficiente para purificá-la.

LEITURA DIÁRIA
 Segunda — Rm 3.9
Todos os homens, depois da Queda, estão debaixo do pecado
 Terça — Rm 3.10
Não há um nenhum justo sob a face da Terra, judeu ou gentio
 Quarta — Rm 3.23
Todos pecaram e foram afastados da presença de Deus
 Quinta — Rm 3.20
Nenhum homem pode ser justificado diante de Deus pelas obras da lei
 Sexta — Rm 6.23
O castigo ou o salário para o pecado é a morte
 Sábado — Rm 3.24
Somos justificados somente pela graça e redenção de Jesus Cristo

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
 Romanos 1.18-20,25-27; 2.1,17-21.

Romanos 1
18 — Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda impiedade e injustiça dos homens que detêm a verdade em injustiça;
19 — porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou.
20 — Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder como a sua divindade, se entendem e claramente se veem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis;
25 — pois mudaram a verdade de Deus em mentira e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém!
26 — Pelo que Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza.
27 — E, semelhantemente, também os varões, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, varão com varão, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.

Romanos 2
1 — Portanto, és inescusável quando julgas, ó homem, quem quer que sejas, porque te condenas a ti mesmo naquilo em que julgas a outro; pois tu, que julgas, fazes o mesmo.
17 — Eis que tu, que tens por sobrenome judeu, e repousas na lei, e te glorias em Deus;
18 — e sabes a sua vontade, e aprovas as coisas excelentes, sendo instruído por lei;
19 — e confias que és guia dos cegos, luz dos que estão em trevas,
20 — instruidor dos néscios, mestre de crianças, que tens a forma da ciência e da verdade na lei;
21 — tu, pois, que ensinas a outro, não te ensinas a ti mesmo? Tu, que pregas que não se deve furtar, furtas?

HINOS SUGERIDOS

235, 291 e 294 da Harpa Cristã.

OBJETIVO GERAL
 Mostrar que o pecado manchou toda a raça humana, por isso, todos necessitam de salvação.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
 Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.

I. Apontar a necessidade de salvação dos gentios;
II. Mostrar a necessidade de salvação dos judeus;
III. Explicar a necessidade de salvação da humanidade.

quarta-feira, 9 de março de 2016

ESBOÇOS PARA SERMAO

A SALVAÇÃO I
Salvação é a libertação do homem do pecado e a sua real integração
em Deus.

1. A salvação vem de Deus. - Sal. 3:8; 37:9.
a) Unicamente de Deus. - Sal. 62:2,6.

2. A salvação é para todos. - Sal. 98:3; Luc. 3:6; Tito 2:11.
a) Porque "todos pecaram". - Rom. 3:23; I Reis 8:46.
b) Porque o convite do Evangelho é universal. - Isa. 55:1; Mat.11:28.
c) Porque o amor de Deus é infinito e, portanto, dispensado a todos. - João 3 :16; Oséias 11:4.

3. A salvação é para os mansos ou humildes. - Sal. 149:4; Mat. 18:3,4.

4. A salvação exige confiança. - Sal. 78:22.

5. A salvação não está ao alcance daqueles que não buscam a Palavra de Deus. - Sal. 119:155; Cf. João 5:39; Isa. 34:16.

Conclusão - "Vinde, que já tudo está preparado".


A SALVAÇÃO II
Definição de salvação.
I – Mostrada - Sal. 91:16.
1. Aos pecadores. - Sal. 25:8; João 14:6.
2. Por meio de estatutos e juízos. - Ez. 20:11.
3. Deus vai adiante do homem. - Deut. 1:33.

II – Anunciada - Sal. 98:2.
1. Pelos profetas. - Isa. 40:9. "Eis aqui está o vosso Deus".
2. Pelo servo do Senhor. - Isa. 42:9.
3 . Pelos apóstolos. - Atos 16 :17.

III – Oportunidades - II Cor. 6:2. Agora! "Convertei-vos agora". . . Jer. 35:16.
1. Depois da morte não haverá mais oportunidade: segue-se o juízo. - Heb. 9:27.
2. Cristo virá em breve. - Apoc . 3:11; Filip. 4:5.
3. A oportunidade desperdiçada: A porta estreita. Luc. 13:22-27.

A triste história das cinco virgens loucas. Mat. 25:1-13.

Conclusão - A Salvação está somente em Cristo pela fé. - Atos
4:12; Ef. 2:8,9. "Vinde, que já está tudo preparado".


SINAIS DA SALVAÇÃO

terça-feira, 8 de março de 2016

O JUIZO FINAL - LIÇÃO 11 COM SUBSIDIOS



SUBSIDIO ELABORADO PELO EVANGELISTA: NATALINO ALVES DOS ANJOS. PROFESSOR NA E.B.D e PESQUISADOR. MEMBRO DA IGREJA ASSEMBLEIA DE DEUS MISSÃO - CAMPO DE GUIRATINGA - MATO GROSSO.

Lições Bíblicas CPAD - Adultos
 1º Trimestre de 2016
 Título: O final de todas as coisas — Esperança e glória para os salvos
Comentarista: Elinaldo Renovato

Lição 11: O Juízo Final
Data: 13 de Março de 2016

TEXTO ÁUREO
 “E vi um grande trono branco e o que estava assentado sobre ele, de cuja presença fugiu a terra e o céu, e não se achou lugar para eles” (Ap 20.11).

VERDADE PRÁTICA
 Todos os ímpios terão de prestar conta dos seus atos perante o Supremo Juiz.

LEITURA DIÁRIA
 Segunda — Jo 3.18
Quem não crê no Unigênito Filho de Deus já está condenado
 Terça — Hb 9.27
Todos os homens experimentarão a morte e, depois, o juízo
 Quarta — At 17.31
Deus determinou um dia em que Jesus Cristo julgará o mundo
Quinta — Rm 14.11,12
Chegará o dia em que todo joelho se dobrará diante de Jesus Cristo
Sexta — Sl 9.17
Os ímpios serão lançados no Lago de Fogo
 Sábado — Ap 20.13
Todos serão julgados de acordo com suas obra

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE

João 3.18,19; Apocalipse 20.11-15.
 João 3
18 — Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.
19 — E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más.

Apocalipse 20
11 — E vi um grande trono branco e o que estava assentado sobre ele, de cuja presença fugiu a terra e o céu, e não se achou lugar para eles.
12 — E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante do trono, e abriram-se os livros. E abriu-se outro livro, que é o da vida. E os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras.
13 — E deu o mar os mortos que nele havia; e a morte e o inferno deram os mortos que neles havia; e foram julgados cada um segundo as suas obras.
14 — E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte.
15 — E aquele que não foi achado escrito no livro da vida foi lançado no lago de fogo.

HINOS SUGERIDOS
 237, 457 e 492 da Harpa Cristã.

OBJETIVO GERAL
 Mostrar que todos terão que prestar conta dos seus atos diante do Trono Branco.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS
 Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.

I. Explicar os eventos que antecedem ao juízo final;
II. Saber como se dará o juízo final;
III. Relacionar as bases do juízo final.

INTERAGINDO COM O PROFESSOR
 Na lição de hoje, estudaremos a respeito do julgamento do Grande Trono Branco. A Bíblia nos ensina a respeito de vários julgamentos, como por exemplo, o julgamento entre “ovelhas e bodes”, o Tribunal de Cristo e o tema desta lição, o Grande Trono Branco. Os crentes fiéis ao Senhor Jesus não terão de passar por tal julgamento, todos os que serão julgados perante o Grande Trono Branco já têm uma sentença e um destino reservados — o inferno. Tal sentença é porque estes rejeitaram a Deus não se arrependendo de seus pecados. Não adianta viver uma vida de prazeres e deleites longe do Criador e passar toda a eternidade no inferno. Muitos não creem, porém, o dia do Juízo Final virá e os incrédulos vão receber a sua recompensa. Todas as suas más ações estão sendo registradas nos livros divinos e serão uma a uma reveladas no Trono Branco.

segunda-feira, 7 de março de 2016

UM PANORAMA DOS EVANGELHOS



O EVANGELHO DE MATEUS

Esboço

I. A Apresentação do Messias (1.1—4.11)

A. A Linhagem Judaica de Jesus (1.1-17)

B. Seu Nascimento e Fuga Para o Egito (1.18—2.23)

C.  O Predito Precursor do Messias (3.1-12)

D. O Batismo do Messias (3.13-17)

E. A Tentação do Messias (4.1-11)


II. O Ministério de Jesus na Galiléia e Arredores (4.12—18.35)

A. Resumo do Ministério Inicial na Galiléia (4.12-25)

B. Sermão Sobre o Discipulado no Reino de Deus (5.1—7.29)

C. Narrativa I: Sinais Miraculosos do Reino de Deus (8.1 —9.38)

D. Sermão da Proclamação do Reino (10.1-42)

E. Narrativa II: A Presença do Reino de Deus (11.1—12.50)

F. Sermão Sobre os Mistérios do Reino de Deus (13.1-58)

G. Narrativa III: Oposição ao Reino de Deus (14.1—17.27)

H. Sermão Sobre o Crente Como Membro do Reino de Deus (18.1-35)


III.  O Auge do Ministério Messiânico de Jesus na Judéia, Peréia e em Jerusalém  (19.1—26.46)

A. A Viagem de Jesus a Jerusalém (19.1—20.34)

B. A Última Semana de Jesus em Jerusalém (21.1—26.46)

1. Entrada Triunfal de Jesus e Purificação do Templo (21.1-22)

2. Disputas com os Judeus (21.23—22.46)

3. Censura aos Escribas e Fariseus (23.1-39)

4. Sermão do Monte das Oliveiras Sobre o Futuro do Reino de Deus (24.1—25.46)

5. A trama para matar Jesus (26.1-16)

6. A Última Páscoa (26.17-30)

7. Getsêmani (26.31-46)


IV.  A Prisão, Julgamento e Crucificação de Jesus (26.47—27.66)

A. A Prisão (26.47-56)

B. O Julgamento (26.57—27.26)

C. A Crucificação (27.27-56)

D. O Sepultamento (27.57-66)


V. A Ressurreição de Jesus (28.1-20)

A. A Gloriosa Descoberta das Mulheres (28.1-10)

B. Falsas Testemunhas (28.11-15)

C. A Ordem do Senhor Ressurreto aos seus Discípulos (28.16-20)



Autor: Mateus
Tema: Jesus, o Messias e Rei
Data: Cerca de 60 d.C.



Considerações Preliminares
É muito apropriado que dentre os Evangelhos este seja o primeiro, servindo assim de introdução ao NT e a “Cristo, o Filho do Deus vivo” (16.16). Embora o autor não apareça identificado por nome no texto  bíblico, o testemunho unânime de todos os antigos pais da igreja (a partir de cerca de 130 d.C.) é que este Evangelho foi escrito por Mateus, um dos doze discípulos de Jesus. O Evangelho segundo Mateus foi escrito para os crentes judaicos. A origem judaica deste Evangelho se sobressai de muitas maneiras, por exemplo:

sexta-feira, 4 de março de 2016

MILENIO - UM TEMPO GLORIOSO PARA A TERRA - LIÇAO 10 COM SUBSIDIOS



Lições Bíblicas CPAD  -  Adultos
 1º Trimestre de 2016
 Título: O final de todas as coisas — Esperança e glória para os salvos
Comentarista: Elinaldo Renovato

Lição 10: Milênio — Um tempo glorioso para a Terra
Data: 6 de Março de 2016

TEXTO ÁUREO
 “[..] que não adoraram a besta nem a sua imagem, e não receberam o sinal na testa nem na mão; e viveram e reinaram com Cristo durante mil anos” (Ap 20.4).

VERDADE PRÁTICA
 O mundo conhecerá o reinado de Jesus durante o Milênio. Será um tempo de paz e harmonia jamais visto.

LEITURA DIÁRIA
 Segunda — Zc 14.9
Durante o Milênio o Reino de Deus será revelado sobre toda a Terra
 Terça — 1Tm 1.17
Todos verão o Rei dos séculos e o adorarão para todo o sempre
 Quarta — Dn 2.44,45
O Reino de Deus é espiritual e eterno, por isso, jamais será destruído
 Quinta — Ag 2.7
Deus fará tremer a Terra e depois virá o “Desejado de todas as nações”
 Sexta — Is 65.25
Durante o Milênio haverá harmonia até entre os animais
 Sábado — Jl 2.24
Durante o Milênio haverá abundância de alimento sobre a Terra


LEITURA BÍBLICA EM CLASSE
 Apocalipse 20.1-6.
 1 — E vi descer do céu um anjo que tinha a chave do abismo e uma grande cadeia na sua mão.
2 — Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é o diabo e Satanás, e amarrou-o por mil anos.
3 — E lançou-o no abismo, e ali o encerrou, e pôs selo sobre ele, para que mais não engane as nações, até que os mil anos se acabem. E depois importa que seja solto por um pouco de tempo.
4 — E vi tronos; e assentaram-se sobre eles aqueles a quem foi dado o poder de julgar. E vi as almas daqueles que foram degolados pelo testemunho de Jesus e pela palavra de Deus, e que não adoraram a besta nem a sua imagem, e não receberam o sinal na testa nem na mão; e viveram e reinaram com Cristo durante mil anos.
5 — Mas os outros mortos não reviveram, até que os mil anos se acabaram. Esta é a primeira ressurreição.
6 — Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte, mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarão com ele mil anos.


HINOS SUGERIDOS
 185, 210 e 306 da Harpa Cristã.


OBJETIVO GERAL
 Mostrar que o Milênio será um tempo de paz e harmonia jamais visto na Terra.


OBJETIVOS ESPECÍFICOS
 Abaixo, os objetivos específicos referem-se ao que o professor deve atingir em cada tópico. Por exemplo, o objetivo I refere-se ao tópico I com os seus respectivos subtópicos.

I. Explicar o Reino Milenial de Jesus Cristo;
II. Saber como e quando se dará o governo de Jesus na Terra;
III. Relacionar os aspectos relevantes do Milênio.

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

COMENTARIO BIBLICO - EXODO CAP. 01, 02, 03

ELABORADO PELO EVANGELISTA NATALINO ALVES DOS ANJOS. MEMBRO DA IGREJA ASSEMBLEIA DE DEUS(MISSAO) CAMPO DE GUIRATINGA - MATO GROSSO. COM PESQUISAS EM COMENTÁRIOS E MANUAIS BÍBLICOS. FAZ PARTE DE UM TRABALHO QUE ESTOU DESENVOLVENDO COM O INTUITO DE APRESENTAR A ALGUÉM DO MEIO EDITORIAL.ESTOU COMEÇANDO OS PROFETAS PARA TERMINAR O VELHO TESTAMENTO. INFORMAÇÕES - TEL. (66)96753165.


EXODO CAPITULO 1

Êx 1:1 Estes pois são os nomes dos filhos de Israel, que entraram no Egito com Jacó; cada um entrou com sua casa:
1.1 — Israel é o nome dado a Jacó pelo Senhor. Os 12 filhos dele se tornaram os fundadores das 12 tribos da nação de Israel.
Êx 1:2 Rúben, Simeão, Levi, e Judá;
Êx 1:3 Issacar, Zebulom, e Benjamim;
Êx 1:4 Dã e Naftali, Gade e Aser.
1.2-4 — Os filhos são listados de acordo com as mães e as suas idades: Rúben, Simeão, Levi, Judá, Issacar e Zebulom são filhos de Léia. Benjamim é o filho de Raquel. Dã e Naftali são os filhos de Bila, a serva de Raquel. Gade e Aser são filhos de Zilpa, a serva de Léia (para saber mais sobre o nascimento de cada um dos filhos de Jacó, leia Gn 29.31-35; 30.5-8,10-13,18-20; 35.16-20).
Êx 1:5 Todas as almas, pois, que procederam dos lombos de Jacó, foram setenta almas; José, porém, estava no Egito.
Êx 1:6 Faleceu José, e todos os seus irmãos, e toda aquela geração.
1.5,6 — Setenta pessoas. Veja o comentário em Génesis 46.1-27. José não foi incluído entre os 70 familiares de Jacó que foram para o Egito. Isto porque José e sua família (a mulher e os dois filhos) já estavam lá.
Êx 1:7 E os filhos de Israel frutificaram, aumentaram muito, e multiplicaram-se, e foram fortalecidos grandemente; de maneira que a terra se encheu deles.
1.7 Frutificaram (7). Uma multiplicação anormal é aqui indicada, conforme fora prometido em Gn 22.17. A terra (7), isto é, Gósen. Conf. Gn 46.1-7. 1.7 — O extraordinário crescimento da família da promessa no Egito é um grande milagre e uma
prova contundente da bênção de Deus. O Senhor transformou uma pequena família de 12 filhos e uma filha [talvez houvesse outras filhas] em uma nação que conquistaria Canaã. Este versículo utiliza várias expressões, uma após a outra, que enfatizam a incrível multiplicação da família de Israel e a mão de Deus nesta maravilha.
Êx 1:8 E levantou-se um novo rei sobre o Egito, que não conhecera a José;
1.8 Um novo rei, que não conhecia José, assumiu o trono egípcio. A posição privilegiada que José possuía na administração do antigo faraó, a aptidão natural do jovem israelita que determinou ações que salvaram os egípcios da fome e a habilidade dele que fez com que o tesouro do rei fosse enriquecido foram esquecidas. Nas próximas gerações a condição dos hebreus declinou rapidamente, até chegarmos aos tempos aqui descritos, exatamente antes da redenção.
Êx 1:9 O qual disse ao seu povo: Eis que o povo dos filhos de Israel é muito, e mais poderoso do que nós.
1.9 Muito, e mais poderoso do que nós (9). Melhor tradução seria: "demais, e poderoso demais para nós". Numericamente a população egípcia era muito maior.
Êx 1:10 Eia, usemos de sabedoria para com eles, para que não se multipliquem, e aconteça que, vindo guerra, eles também se ajuntem com os nossos inimigos, e pelejem contra nós, e subam da terra.
1.10. Usemos de sabedoria(astúcia). Tomemos precauções contra eles; ou vamos tomar cuidado com eles (Moffatt). Havia um verdadeiro e real perigo que os hebreus, habitando em Gósen, na fronteira nordeste da terra, pudessem se unir a quaisquer invasores que viessem para atacar o Egito. Sabedoria(Astúcia). É a arma predileta dos servos do Maligno, na sua batalha contra os fiéis. Suba da terra (10). Embora odiassem aos israelitas, os egípcios não estavam dispostos a prescindir dos serviços de quaisquer dos povos por eles dominados.
Êx 1:11 E puseram sobre eles maiorais de tributos, para os afligirem com suas cargas. Porque edificaram a Faraó cidades-armazéns, Pitom e Ramessés.
1.11 Maiorais de tributos (11). Os egípcios empregavam em suas obras públicas grupos de trabalhadores, coagidos e não-pagos, controlados por duas patentes de supervisores, que marcavam as tarefas e forçavam a execução do trabalho mediante o uso do chicote. Cidades de tesouros (11). Ou "cidades-celeiro". Conf. 1Rs 9.19. Depósitos próximos da fronteira, para acúmulo tanto de equipamento militar como de provisão de boca, que serviam tanto na defesa como no ataque.
Êx 1:12 Mas quanto mais os afligiam, tanto mais se multiplicavam, e tanto mais cresciam; de maneira que se enfadavam por causa dos filhos de Israel.
1.12 Tanto mais se multiplicava (12). Devido à miraculosa providência de seu Deus. A graça de Deus para com seu povo sempre supera as tentativas de destruição feitas contra seus escolhidos. Para os egípcios havia um elemento de admiração como também de aversão na multiplicação dos hebreus, não apenas por causa do perigo mencionado no versículo 10, mas também por causa da evidência da bênção divina em sua grande proliferação.
Êx 1:13 E os egípcios faziam servir os filhos de Israel com dureza;
Êx 1:14 Assim que lhes fizeram amargar a vida com dura servidão, em barro e em tijolos, e com todo o trabalho no campo; com todo o seu serviço, em que os obrigavam com dureza.
1.13,14 — Quanto mais os egípcios oprimiam os israelitas, mais eles cresciam. Assim, lhes fizeram amargar a vida. Mais tarde, Deus instruiria os israelitas a comer algo amargo com a refeição da Páscoa, a fim de que eles se lembrassem da amargura
de quando estavam submetidos à escravidão no Egito (Ex 12). Com dura servidão. O termo traduzido como dura (hb. perek) significa aspereza ou severidade. A cada tarefa que os egípcios submetiam os hebreus, faziam com que a dificuldade de concluí-la fosse extremamente penosa. Os egípcios esperavam que o espírito divino dos israelitas
fosse destruído com a escravidão abusiva.
Êx 1:15 E o rei do Egito falou às parteiras das hebréias (das quais o nome de uma era Sifrá, e o da outra Puá),
1.15 Parteiras (15). Provavelmente mulheres hebréias. Quanto a "Sifrá" não há dúvida; "Puá" talvez; mas, quer fossem egípcias ou hebréias sua qualidade é que temeram a Deus (17). Respeitaram Sua vontade e Seu propósito para com Seu povo.
Êx 1:16 E disse: Quando ajudardes a dar à luz às hebréias, e as virdes sobre os assentos, se for filho, matai-o; mas se for filha, então viva.
1.16. Bancos(assentos). Bancos de parto (lit. pedras). Eram duas pedras, tijolos, ou bancos baixos, sobre os quais era costume as mulheres se ajoelharem ou sentarem durante o parto. Filha. As filtras foram poupadas, uma vez que podiam se casar com egípcios, perdendo assim sua identidade nacional. Esta distinção era freqüente no V.T. não apenas entre os hebreus mas também em outras nações.
Êx 1:17 As parteiras, porém, temeram a Deus e não fizeram como o rei do Egito lhes dissera, antes conservavam os meninos com vida.
 Êx 1:18 Então o rei do Egito chamou as parteiras e disse-lhes: Por que fizestes isto, deixando os meninos com vida?
1.17,18 — O termo hebraico para temeram (yare) é a palavra usada comumente para piedade, obediência e a verdadeira adoração a Deus (Gn 22.12; Êx 20.20). Esta não é a mesma expressão usada em Êxodo 1.12, que indica sentir repugnância, utilizada para descrever o sentimento egípcio em relação ao crescimento dos hebreus. As parteiras não obedeceram ao perverso comando do monarca humano, mesmo diante da possibilidade de colocar a vida delas em risco, pois desejavam louvar a Deus.
1.19 — Estas palavras evasivas não
Êx 1:19 E as parteiras disseram a Faraó: É que as mulheres hebréias não são como as egípcias; porque são vivas, e já têm dado à luz antes que a parteira venha a elas.
1.19As mulheres hebréias não são como as egípcias (19). Essa declaração provavelmente era verdadeira - mas não expressa o verdadeiro motivo por que salvaram os meninos. As Escrituras registram mas nunca recomendam as faltas das pessoas tementes a Deus. (Conf. a mentira de Raabe, Js 2.4-5). A explicação dada a Faraó era apenas parcialmente verdade. Está evidente na recompensa da bênção divina dada às parteiras que elas mesmas não tomaram precauções para evitar a preservação dos meninos.
Êx 1:20 Portanto Deus fez bem às parteiras. E o povo se aumentou, e se fortaleceu muito.
1.20 Portanto Deus fez bem... (20). Não porque tivessem enganado Faraó, mas porque tinham temido a Deus e se tinham recusado a obedecer ao decreto sanguinário. A lealdade a Deus vem antes da sujeição ao rei estipulada em Rm 13. Conf. 1Pe 2.13-17.
Êx 1:21 E aconteceu que, como as parteiras temeram a Deus, ele estabeleceu-lhes casas.
1.21 Estabeleceu-lhes casas (21). Conf. 1Rs 2.24. Deu famílias e descendentes àquelas que tinham preservado em vida as famílias de Seu povo.
Êx 1:22 Então ordenou Faraó a todo o seu povo, dizendo: A todos os filhos que nascerem lançareis no rio, mas a todas as filhas guardareis com vida.
1.22  — O faraó não pôde contar com a ajuda das parteiras. Assim, ordenou ao povo egípcio que lançasse ao rio Nilo todos os bebês do sexo masculino.

domingo, 28 de fevereiro de 2016

ESTUDOS SOBRE ESCATOLOGIA - PRIMEIRA PARTE.

SINAIS DO FIM DO MUNDO

       a) Falsos Cristos (Mt 24.5);  
b) Guerras (Mt 24.6);           
c) Nação contra nação (Mt 24.7);  
d) Fome (Mt 24.7);  
e) Peste (Mt 24.7);  
f) Terremoto (Mt 24.7);  
g) ódio, traição, morte e perseguição (Mt 24.9, 10);                   
 h) Aumento da ciência (Dn 12.4);    
i) Multiplicação da iniqüidade (Mt 24.12; 1 Jo 2.16, 17);    
 j) Distúrbios familiares (Mc 13.12);  
I) Ocultismo (1 Tm 4.1);     
n) Dias como os dias de Noé (Mt 24.37-39);
o) Apostasia (Mt 24.11; I Tm 4.1; II Tm 4.3, 4);
p) Zombadores (lI Pe 3.3, 4);  
q) Igreja morna (Ap 3.15, 16; Mt 24.12);
r) Regresso de Israel para a Palestina (Ez 36.33-35)


QUANDO OCORRERÁ A VINDA DE CRISTO À SUA IGREJA?
Lucas 21.34-36 revela-nos quando Jesus voltará para Sua Igreja. Mostra-nos que os descuidados e desprevenidos serão pegos de surpresa (Mt 24.36-39; Lc 21.34-36). Neste caso, os prevenidos e preparados têm noção e discernimento da vinda de Jesus à Igreja (Am 3.7). Eis uma abençoada verdade!